Páginas

quinta-feira, 12 de dezembro de 2013

Sobre suicídio...

Oi, tudo bem? Você já parou pra pensar que quando uma pessoa responde um "sim", ela está, na maioria das vezes, dizendo "não, me ajude!"?

É fácil falar que uma pessoa só se mata por que é covarde e não aguenta os autos e baixos da vida. mas você sabe das dores dessa pessoa? Sabe o que ela passava? Todos chegam num momento da vida em que não tem mais nada a perder, onde as pessoas que ela amava foram embora por coisas fúteis, e que ela sabe que, não importa o que faça, não vai traze-las de volta.

Eu lembro de algum filme (Acho que era Gladiador) em que algum carinha dizia: "Tire um filho de um homem, e mate sua mulher. Ele não terá mais nada a perder"

Que não seja exatamente a mulher e o filho, basta um amigo para que um homem vire uma arma, sentimental ou física, que viva o resto da vida indo atrás daquele que tirou o sentido dela.

E quando essa pessoa que tirou tudo aquilo que amava é ele mesmo? Bom, eis aí um dos maiores motivos do suicídio.

A raiva leva a violência, que leva a morte. Se toda essa raiva é por você mesmo, a violência e a morte consequentemente também.

E não, não estou fazendo apologia ao suicido (eu sou um dos que acha que é viadagem de mais se matar), mas cada um tem a própria dor e motivos, se achar que é o certo, saiba que o paraíso não existe pra você, é o preço!


Nenhum comentário:

Postar um comentário